INVESTIGAÇÕES SOBRE A IGREJA SUD
Comportamento SUD 2

ENTENDENDO O COMPORTAMENTO MÓRMON – parte 2
O TESTEMUNHO



A igreja mórmon possui um sistema extremamente eficaz de doutrinação: logo de início, muitos de seus (futuros) membros são persuadidos a testar a veracidade do Mormonismo da seguinte forma:


São mostradas à eles a escritura encontrada no Livro de Mórmon, em Moroni 10:4:
“E quando receberdes estas coisas, eu vos exorto a perguntardes a Deus, o Pai Eterno, em nome de Cristo, se estas coisas não são verdadeiras; e se perguntardes com um coração sincero e com real intenção, tendo fé em Cristo, ele vos manifestará a verdade delas pelo poder do Espírito Santo.”


Como o Espírito Santo se manifestará? De acordo com Doutrina e Convênios 9:8:
“ Mas eis que eu te digo que deves estudá-lo bem em tua mente; depois me deves perguntar se está certo e, se estiver certo, farei arder dentro de ti o teu peito; portanto sentirás que está certo.”


Porém, se ao assim proceder, você não receber este sentimento, a falha é total e completamente SUA, pois:


1 – Sua oração não foi feita com o coração sincero


2 -  Sua intenção não era real


3 – Você não tem fé em Cristo


Mas discernir a verdade usando nossos sentimentos como um guia é muito arriscado. Sentimentos não são fatos. Portanto, não há lógica nisso tudo.


Ainda mais, os sentimentos são notoriamente não confiáveis, já que são facilmente influenciados por praticamente tudo e qualquer coisa que se passa à nossa volta.


Os psicólogos dizem-nos que a auto sugestão é uma coisa extremamente importante. Inclusive, técnicas mundialmente conhecidas, como a PNL (Programação NeuroLinguística) explica que ela:


É baseada na idéia de que a mente, o corpo e a linguagem interagem para criar a percepção que cada indivíduo tem do mundo, e tal percepção pode ser alterada pela aplicação de uma variedade de técnicas. A fonte que embasa tais técnicas, chamada de ‘modelagem’, envolve a reprodução cuidadosa dos comportamentos e crenças daqueles que atingiram o ‘sucesso’.” (Wikipedia)


Portanto, voltando ao desafio, quem gostaria de ser visto como possuidor de uma (ou dos três) ítens acima perante homens religiosos? E perante Deus?


Portanto, os mórmons são persuadidos a deixar de lado o senso comum e bom senso em favor de convicções emocionais. Esta persuasão ocorre de tal forma que parecia ser a única coisa certa a ser feita.


Mas, falando em termos de escrituras, a Bíblia nos diz exatamente o oposto ao que a igreja mórmon ensina. Ela nos alerta que o coração é enganoso e pode não ser confiável. E por essa razão, precisamos provar todas as coisas:


“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?” (Jeremias 17:9)


“O que confia no seu próprio coração é insensato, mas o que anda em sabedoria, será salvo.” (Provérbios 28:26).


“Examinai tudo. Retende o bem”. (1 Tessalonissences 5:21).


“Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim.” (Atos 17:11) (negrito nosso.)


Quando a liderança ou os membros mórmons são confrontados com o fato inegável de que confiar em um sentimento não é lógico nem confiável para discernir a verdade, eles justificam-se insistindo que não se limitam a invocar sobre seus sentimentos, mas também são incentivados a estudar.


No entanto, esse argumento é anulado pelo fato de que eles estudam apenas a literatura favorável aos ensinamentos mórmons e evitam tudo o que contenha crítica à crenças ou história da igreja (considerado “lixo anti-mórmon”, por mais fidedigna que seja a fonte).


Adicionalmente, existe de fato o hábito de encobrir ou mesmo negar certos fatos que poderiam lançar uma luz negativa sobre a igreja ou em seus ensinamentos. Veja maiores detalhes em Mentindo em Nome de Deus 1 e 2.


A doutrinação é sutil, e funciona em um nível subconsciente. Uma vez que os mórmons ganham um “testemunho”, são incentivados a mantê-lo ou mesmo fortalecê-lo, declarando-o sempre que possível.


Spencer W. Kimball disse:
"Você pensa que você pode passar três, seis, nove e doze meses sem prestar o seu testemunho e ainda mantê-lo inabalado?" TestimonySWK.pdf


De fato, todo primeiro domingo de cada mês é reservado para que os membros compartilhem os seus testemunhos publicamente com os membros. E desde uma idade muito precoce, as crianças são ensinadas à subirem no púlpito (ou são levadas no colo por seus pais) e prestarem seu testemunho.


Em geral, um testemunho consiste das seguintes afirmações:


- Eu sei que:
- Joseph Smith foi um verdadeiro profeta de Deus,
- que a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias é a única e verdadeira  igreja de Deus sobre a face da terra
- que o profeta atual é um homem que fala diretamente com Deus
- que Jesus Cristo é o Filho de Deus
- outras afirmações relacionadas às doutrinas da igreja mórmon


Para colocarem mais ênfase em seus testemunhos, expressões como “eu sei” (ao invés de “eu acredito”) ou “eu sei com todas as fibras de meu coração” são comumente usadas. Assim, o testemunho mórmon é uma declaração sobre “conhecimento”, mas este “conhecimento” deve ser pronunciado sempre que possível para não diminuir e se perder!


É interessante que, em algum momento, o testemunho sobre o Livro de Mórmon se transforma em um testemunho sobre tudo no mormonismo.


Se por um lado, o testemunho consiste de declarações confiáveis de ‘conhecimento’, por outro lado os SUDs realmente temem ser expostos às informações que poderiam fazê-los "perder o testemunho". Assim, são avisados sobre as terríveis causas e consequências de perder o seu testemunho: se alguma coisa (ou alguém) fizer com que questionem a sua fé na igreja mórmon, nas doutrinas ou na história do mormonismo, ou em Joseph Smith, estão “em perigo”. Assim, eles são orientados a:


-  não ouvirem ou lerem qualquer coisa que critique o mormonismo
-  prestar seus testemunhos imediatamente.
- desafiar a pessoa a orar e perguntar à Deus sobre o que é verdadeiro.


Os missionários também são instruídos a imediatamente prestarem seus testemunhos se alguém se opuser ao evangelho mórmon. Isso efetivamente reforça suas mentes com os dados que o mormonismo é a verdade, e ao mesmo tempo anula tudo o que pode sugerir o contrário.


Mas, o principal é que os mórmons se mantenham afastados de qualquer informação que possa “enfraquecer” seus testemunhos. Criticar qualquer líder, desobedecer qualquer um dos mandamentos da igreja certamente contribuirá para que o membro ativo “perca” seu testemunho, ou o conhecimento da verdade!


Mas como um conhecimento pode ser perdido? Temos que declarar com confiança, todas as manhãs, que o sol vai nascer no leste a fim de retermos o conhecimento de que ele realmente nasce no leste? Você pode perder o seu conhecimento que o sol se move de leste para oeste, se você não falar sobre isso aos outros, várias vezes por ano? Será que uma pessoa perde seus conhecimentos através da leitura de um livro que afirma que o sol nasce no oeste? Será que as pessoas acreditariam que este livro seria uma ameaça ao seu conhecimento, quando tudo o que têm que fazer ver o nascer do sol e confirmar tudo o que já sabem?


De qualquer forma, todos os meses, no primeiro domingo, os membros devem levantar-se, dirigirem-se ao púpito e dar seu testemunho da veracidade do evangelho Mórmon. Mais uma vez, todos eles reforçam em suas mentes, de forma coletiva, o mantra SUD de que o mormonismo é a verdade, que Joseph Smith é o verdadeiro profeta de Deus e que a aquela é a única igreja verdadeira. Para a maioria dos mórmons, torna-se instintivo confiar em seus testemunhos cada vez que houver qualquer tipo de dúvida ou de oposição às crenças SUDs.


A forma como eles foram ensinados a discernir a verdade, o fato de que eles são incentivados a prestarem seu testemunho pessoal em todas as oportunidades, a repetição dos testemunhos nas ‘reuniões de testemunho’, e o sistema eficaz de doutrinação usado pela igreja mórmon, gera um comportamento que, mesmo se eles forem confrontados com provas que contrariem suas crenças, a maioria irá ignorá-las, pela simples razão de que "sabem" que o mormonismo é verdadeiro. Eles não sentem a necessidade, ou não tem o desejo, de utilizar o discernimento dado por Deus ou o senso comum. A fé mórmon está firmemente fixada na igreja.


ORARANDO CONTRA A VONTADE REVELADA DE DEUS?


Usando a Bíblia como referência, lemos em Efésios 6:10-17 que o apóstolo Paulo se refere à ela como uma espada espiritual para ser usada como uma arma, para proteger o ser humano contra o engano espiritual.


Porém, o livro de mórmon declara que quem pensa que a Bíblia, por si só, é suficiente como um guia espiritual é um tolo (2 Néfi 29:6, 10). Essa declaração depreciativa coloca automaticamente o livro de mórmon firmemente na categoria de enganação espiritual, porque antes dele, já existia a Bíblia, e esta afirma que a Sua Palavra é adequada e que deve ser usada como padrão de verdade para testar todos os outros ensinamentos espirituais.


Portanto, não há necessidade de orar à Deus, a fim de descobrir se o Livro de Mórmon é verdadeiro. A resposta está evidente: o LdM denigre a Bíblia e contradiz os seus ensinamentos!


Assim, de acordo com as escrituras, quem insiste em confiar em seus próprios sentimentos e seguir os seus próprios desejos em vez de confiar e seguir à Deus, Ele os entregará aos desejos de seus próprios corações.


AS CONSEQUÊNCIAS DA DOUTRINAÇÃO MÓRMON


Para ilustrar o quão eficaz é a doutrinação mórmon, um membro da igreja certamente lhe dirá que você não foi sincero em sua oração, caso contrário você saberia que o mormonismo é verdadeiro.


Um ex-missionário, certa vez escreveu:


"Descobri que eu tenho que orar mais e mais até que eu saiba que o que estou sentindo é o certo e está em conformidade com os ensinamentos do evangelho [mórmon]. Assim como na escola, você não pode estudar para uma prova de matemática e memorizar perfeitamente as fórmulas se você estudá-la apenas uma vez. A repetição é necessária .......".


Este pobre homem reza tantas vezes quanto necessário até que seus sentimentos estejam em consonância com os ensinamentos SUDs: um exemplo perfeito do fruto da lavagem cerebral bem sucedida. Ele não tem mais o desejo de pensar logicamente, ou livremente, e quando a verdade em sua frente, ele sufoca-a à morte.


E não pense que este é uma excessão. A grande parte dos mórmons agem assim!


Tenha em mente que uma pessoa não pode raciocinar com outra que se recusa a pensar logicamente. Mas não é esse o objetivo da lavagem cerebral - o controle das mentes de suas vítimas?


DETERMINANDO O QUE É OU NÃO É VERDADE


O caminho lógico para determinar se um suposto registro histórico é "verdadeiro" é uma investigação adequada de suas origens, e considerar as prova existentes, que dão suporte ao conteúdo do registro.


Mas nada foi descoberto que dê qualquer credibilidade ao Livro de mórmon. A existência de certos animais, plantas e metais mencionados, bem como os ancestrais dos índios americanos, já foram provados como falsos. E os animais que são conhecidos por ter existido durante a época do LdM sequer são mencionados. 

Além de todos estes fatores, apesar do longo período de existência deste livro, nenhuma evidência arqueológica jamais foi descoberta, embora ele descreva uma civilização avançada de milhões de pessoas, que se espalharam por todo o continente. Esta civilização tinha um magnífico templo semelhante ao de Salomão, arquitetura avançada, indústrias e um sistema monetário que utilizava moedas. Porém, nenhuma prova jamais veio à tona (veja mais informações AQUI)


Embora os membros zelosos da igreja mórmon descrevem certas descobertas como prova da veracidade do Livro de Mórmon, já foi provado que todas essas ‘evidências’ relacionam-se a uma civilização muito mais recente do que aquela do LdM.


Por causa da grande quantidade de falsas informações que circulam entre os membros da SUD, em meados de 1970 o Presidente Spencer W. Kimball fez uma declaração que foi publicada no The Church News, solicitando que as pessoas deveriam parar de procurar evidências arqueológicas do Livro de Mórmon, pois não havia nenhuma. E a seguinte declaração foi emitida pelo Professor SUD Dee Green:


“O primeiro mito que precisamos eliminar é que a arqueologia do Livro de Mórmon existe. Vários livros cheios de meia-verdades arqueológicas, amadores que se encontram na periferia da arqueologia americana e chamam-se de arqueólogos do Livro de Mórmon, independentemente da sua formação, e um Departamento de Arqueologia da BYU dedicada à formação de arqueólogos do Livro de Mórmon não asseguram que a arqueologia do Livro de Mórmon realmente existe ... nenhum local do Livro de Mórmon é conhecido .....” (Dialogue, Summer, 1969, páginas 74 a 78.)


CONCLUSÃO


Quando os membros confrontam a liderança SUD com fatos incômodos sobre o Livro de Mórmon, eles:


- são desafiados a terem mais fé, pois sem fé não podem agradar a Deus,
- a rezarem mais sobre o assunto,
- é dito que as respostas para estes problemas serão reveladas mais tarde, e assim por diante.


Prestar o testemunho da veracidade do que acreditam faz parte do cotidiano dos membros da igreja SUD. Porém, não há nenhuma razão para duvidar de que a maioria destes testemunhos seja honesta e sincera. Mas isto, por si só, não indica que eles sejam confiáveis. Infelizmente, a sinceridade não garante que os mórmons não estejam enganados espiritualmente.


Uma vez que os mórmons são convencidos pelo que ouviram, eles aprendem a considerar o sentimento de convicção que têm como "o testemunho do Espírito Santo". Como eles atribuem este sentimento de "certeza" à Deus falando diretamente com eles, aceitam qualquer sentimento subjetivo como verdadeiro. Neste ponto, acreditarão que tudo o que lhes for dito é verdadeiro, pois eles têm "um testemunho".


Porém, o verdadeiro poder de um testemunho mórmon pode ser uma armadilha em potencial, onde uma pessoa cai e não percebe que pode, literalmente, ouvir e acreditar em qualquer coisa se ela realmente assim desejar!


A fé não aparece por causa de evidências, mas em algum momento, os elementos necessários devem aparecer para apoiar a verdadeira fé.


Os SUDs acreditam que o seu testemunho sobre o Livro de Mórmon ou o livro de Abraão é apoiado por provas fatuais, mas uma investigação cuidadosa mostra que tais provas não existem.  

Em vez disso há provas evidentes contra eles. Assim, na ausência de provas válidas para o objeto da sua fé, o santo dos últimos dias ficam apenas com sentimentos subjetivos, que são inconclusivos. 

Para ser objetivo, é preciso estar disposto a examinar as evidências a favor e contra as alegações religiosas.


Muitos precisam ter disposição para aceitar os fatos como eles são, e aprenderem a usá-los para testarem os pontos de vista, ao invés basearem-se em experiências subjetivas ou “tentativas de racionalização”. 



Criar um Site Grátis    |    Create a Free Website Denunciar  |  Publicidade  |  Sites Grátis no Comunidades.net