INVESTIGAÇÕES SOBRE A IGREJA SUD
DOUTRINA - Dízimo 1

INTRODUÇÃO

Certamente doações para caridade é uma das coisas mais admiráveis que as pessoas podem fazer com seu dinheiro. E os cristãos, como vêem a caridade? Estaria ela relacionada com os dízimos?


A seguir estão relacionadas algumas informações escriturísticas que envolvem o dízimo.

Verificando TODO o capítulo 14 de Deuteronômio, vemos algumas das leis do Antigo Testamento para os judeus, incluindo o dízimo. Portanto, o dízimo era uma obrigação dos judeus, sob a lei de Moisés, no Antigo Testamento.

Com a vinda de Cristo, um novo convênio passou a reger a vida nesta terra. Mesmo no NT, a palavra dízimo é mencionado seis vezes, em Mateus. 23:23, Lucas 11:42 e Heb. 7:5,6,8,9.

Mas a chave para entender como Deus solicita doações à Igreja é encontrada em I Coríntios 16:2:

 “No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder, conforme tiver prosperado, guardando-o, para que se não façam coletas quando eu chegar.”

e em 2 Coríntios 9:5-8:

“5 Portanto, julguei necessário exortar estes irmãos que fossem adiante ter convosco, e preparassem de antemão a vossa beneficência, já há tempos prometida, para que a mesma esteja pronta como beneficência e não como por extorsão.

6 Mas digo isto: Aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e aquele que semeia em abundância, em abundância também ceifará


7 Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, nem por constrangimento; porque Deus ama ao que dá com alegria

8 E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda boa obra.”

Parafraseando: Deus não exige uma quantia fixa de dinheiro, Ele quer que as doações sejam de coração. Se as pessoas são forçadas pela sua igreja a dar uma certa porcentagem de sua renda, que é extorsão. Se elas dão livremente e alegremente a quantia que são capazes, este é um dom.

Portanto, os cristãos estão livres da obrigatoriedade pregada no Velho Testamento. Eles não são obrigados à doar o dízimo, mas sim solicitados a fazer oferendas.

Em Marcos 12:42,44 lemos:


“Vindo, porém, uma pobre viúva, lançou dois leptos, que valiam um quadrante.... mas esta, da sua pobreza, deu tudo o que tinha, mesmo todo o seu sustento.”

Quando a viúva idosa deu seus dois últimos leptos, era uma oferenda e não um dízimo. Se fosse dízimo, ela daria 10% de seus dois últimos leptos. 

Alguns mórmons afirmam que não é um mandamento pagar o dízimo, porém esta é apenas uma tentativa de esconder a verdade.

O Salt Lake Tribune, em 2005, publicou um artigo falando sobre o Chile e o desafio da igreja mórmon em manter os membros batizados ativos. Segue uma parte deste artigo:


"De longe, o maior desafio é o [pagamento do] dízimo... que os mantém longe dos templos e da participação completa [na igreja].

A importância de pagar o dízimo tornou-se uma espécie de mantra durante a visita do presidente da igreja mórmon de Gordon B. Hinckley, e repetido por todos da liderança" ("Building Faith," Salt Lake Tribune, March 31, 2005).



PARA QUE SERVE O DÍZIMO MÓRMON?

Segundo as Autoridades Gerais, o dinheiro arrecadado com o dízimo serve também para:


- construir, conservar e manter o funcionamento dos templos (foto ao lado e mais imagens AQUI), capelas e outros edifícios (todos feitos com materiais caros, especialmente os templos);



- destinados para os gastos das estacas, alas e outras unidades da igreja (essas unidades utilizam estes fundos para realização de programas eclesiásticos que incluem o ensino do evangelho e atividades recreativas, podendo envolver não membros da igreja)



- ajudar o programa missionário

- educar os jovens no Seminário e Instituto da igreja, com a impressão e distribuição dos materiais de aula;

- ajudar nos trabalhos do templo e história genealógica da família.

QUAL É A DEFINIÇÃO DO DÍZIMO?

O seguinte estudo de um membro SUD mostra que a definição do dízimo na igreja mórmon pode ter evoluído em sua interpretação original. (Agradecimento especial a Sarony pelo texto: O que é um dízimo adequado? What is a Proper Tithe?)

Como a autoridade e a política estão vinculadas na Doutrina Mórmon,  para declarar o que é um dízimo adequado, devem ser priorizados: primeiro, as escrituras canonizadas; segundo, as declarações assinadas da Primeira Presidência.

Há pelo menos duas passagens das escrituras que ensinam explicitamente que um bom dízimo é um décimo do que a pessoa possui como extra.

1. DeC 119:5, versão de 1938:

"Em verdade vos digo, acontecerá que todos aqueles que se reunirem na terra de Sião deverão doar o dízimo de suas propriedades excedentes, e devem observar esta lei, ou não serão considerados dignos de habitar entre vós".

2. A segunda passagem da Escritura provém da Tradução de Joseph Smith da Bíblia (JST). Smith e Rigdon também produziram esta obra, e está escrita, em grande parte, com a letra de Rigdon.

"Portanto Abrão pagou-lhe o dízimo ... pois que Deus lhe havia dado mais do que tinha necessidade." JST Gênesis 14:39.

Para compreender o significado do que deve ser cobrado, temos a sorte de encontrar uma harmonia simples e elegante em uma simples leitura da escritura Mórmon: "benefício" (v. 4) significa "propriedade excedente” (v . 5). Portanto, o dízimo Mórmon era definido como "um décimo de suas propriedades excedentes anualmente" (DeC 119:4,5), que significa "mais do que tudo o que tinha necessidade" (JST Gênesis 14:39).

Ainda está confuso? Vamos continuar.

Declarações:

O Presidente Howard W. Hunter declarou o seguinte:

"A lei é simplesmente indicada como "um décimo de todo o seu benefício”. Benefício significa lucro, remuneração, aumento. É o salário de um empregado, o lucro da exploração de uma empresa, o aumento de quem cresce ou produz, a renda a uma pessoa de qualquer outra fonte.

"O Senhor disse que é uma lei 'permanente', tal como foi no passado." (Conference Report, abril de 1964, 35)."

Parece que os SUDs podem interpretar o dízimo de várias maneiras. Mas Franklin D. Richards não deixou dúvidas:

 " ‘Eu exijo que todos os seus bens excedente sejam colocados nas mãos do bispo’. Vamos considerar por um momento a palavra EXCEDENTE. O que significa quando aplicada a um homem e sua propriedade? Excedente não pode significar aquilo que é indispensavel e necessário para uma determinada finalidade, mas o que fica depois de suprir o que é necessário.

Não são as necessidades básicas a alimentação, vestuário e um lar para si e sua família? A propriedade excedente aquilo que estava além e acima de coisas confortáveis e e necessárias? À luz do que já aconteceu e de acontecimentos posteriores, o que mais poderia significar? Podemos ter outro ponto de vista quando consideramos as circunstâncias na qual ela foi dada em Far West, em julho de 1838?

Eu não sou capaz de estudar o assunto e encontrar qualquer outra definição do termo"excedente" utilizado nesta revelação além daquele que acabo de dar. Creio que era assim compreendido e registrados pelos Bispos e pelas pessoas naqueles dias, bem como pelo próprio profeta Joseph, que foi sem dúvida o mais capazes e melhor expositor dessa revelação."

(Franklin D. Richards, 6 de novembro de 1882. Journal of Discourses, 23:313).


Atualmente, o pagamento do dízimo é sobre o salário. Algumas pessoas pagam o dízimo sobre o valor líquido, alguns sobre a receita bruta.  Em geral, os bispos incentivam que os membros paguem seus dízimos sobre a renda bruta, isto é, paguem 10% de um salário que não receberão.

Ainda, rendimentos como poupança, venda de imóveis ou qualquer outra forma de recebimento que aconteça, além do salário, o dízimo também deve ser pago. Após a aposentadoria, apesar de já ter pago 10% do dízimo sobre o valor arrecadado pelo INSS, o aposentado fiel deve continuar pagando seu dízimo.

Comentário: Parece que a Igreja SUD definiu o dízimo nos seus primeiros dias de forma diferente do que faz agora. Independentemente de como ele foi definido no passado, a Igreja SUD espera que os seus membros paguem 10% de sua renda para a igreja, além de ofertas de jejum, ofertas de fundo missionário, entre outras doações.

Referências complementares


MOTIVAÇÃO PARA PAGAR O DÍZIMO

A Igreja SUD torna o pagamento do dízimo uma obrigação. E seus adeptos tem uma grande motivação para isso: o medo.

Explicando melhor, é comum ouvir a citação de duas escrituras:

1 – Malaquias 3:10, onde Deus promete abençoar aos que pagam fielmente dízimos e ofertas:

"Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes".

Onde podemos ver o medo nessa escritura? A mensagem ensinada é simples: aqueles que não pagam o dízimo não serão abençoados materialmente.

2 – Doutrina e Convênios 64:23, que os mórmons tem como uma revelação moderna. Esta diz o seguinte:

"Este é um dia de sacrifício, e um dia para o dízimo do Meu povo; pois aquele que paga o seu dízimo não será queimado na ocasião da Sua vinda."


Aqui o medo está bem esplícito: aquele que não pagar o dízimo, será literalmente queimado!!!

Infelizmente, o sentimento de culpa colocada sobre Santos dos Últimos Dias é real e considerável. Eles não são considerados “membros dignos” se não pagam o dízimo integral  e todos os meses.

Quando não procedem “dignamente” em relação ao dízimo, não recebem a recomendação para entrar no templo (essencial para a salvação mórmon – veja AQUI) e não podem assumir ou manter quaisquer cargos maiores (bispo e conselheiros, presidentes de estacas, etc).

Quando todos os dízimo são pagos integralmente, são aconselhados a pagar generosas ofertas de jejum, contribuir para o fundo missionário, etc

ALGUNS PONTOS IMPORTANTES SOBRE O DÍZIMO NA IGREJA SUD:

- o dízimo é muito enfatizado, juntamente com a declaração que "O Senhor não precisa do seu dinheiro "

- é colocada muita ênfase no dízimo, a ponto de torná-lo um tema recorrente da Reunião Sacramental, palestras, aulas na Escola Dominical, Sacerdócio e Sociedade de Socorro

- é ensinado às crianças o dízimo da primária - o professor dá à criança de dez reais (cedidos pelos pais da criança antes da aula) e ela é convidada a colocar um centavo no envelope do dízimo e dá-lo ao Bispo

- o doador do dízimo deve identificar-se corretamente, preenchendo uma ficha com seu nome, data e valor doado (figura ao lado). Esta ficha é entregue ao bispo, juntamente com o valor declarado.

- todos os membros que trabalham ou tem algum tipo de renda são chamados para acerto do dízimo todo final de ano. Assim, são lembrados das parcelas dos dízimos que não foram pagas. Sim, todos os pagamentos individuais são cuidadosamente contabilizados (através da ficha acima descrita). 

Por outro lado, os bispos são pressionados pela sede da igreja, através de cartas, indicando que houve uma diminuição do valor arrecadado em sua ala, e que devem exortar aos membros a contribuir mais rápida e prontamente com o dízimo

O DÍZIMO, OS POBRES E AS BÊNÇÃOS - UM MANDAMENTO MESMO PARA OS NECESSITADOS

Certa vez na Escola Dominical, um professor estava falando sobre os membros da igreja que estão "gemendo sob dívidas esmagadoras". Ele expressou sua simpatia por essas pobres almas e então perguntou: "Qual é o primeiro passo para sair do débito?"

“Pagar o dízimo integral!”



Podemos entender: Qual é o primeiro passo para se salvar do afogamento? Acrescente mais água! Qual é o primeiro passo para sobreviver a um assalto? Dê a maior arma à um assaltante

Ouvimos os outros membros se referirem à esse conceito como a "Matemática do Senhor”. Infelizmente os Mórmons terão que lidar com a matemática do banco. O banco não se importa se você doou o dinheiro do financiamento de sua casa para a igreja. Você tem uma obrigação legal com eles, e está infringindo essa obrigação.


É interessante que a igreja, tendo membros humildes, faz com que elas sintam obrigação de pagar primeiramente o dízimo. Porém, essas mesmas pessoas carentes acabam pedindo ajuda financeira à igreja. E se elas deixaram de pagar seu dízimo um único mês, essa ajuda é negada!

Assim, não faz mais sentido que essas pessoas usem o dinheiro que têm que pagar suas  próprias necessidades? Por que a Igreja tem que se envolver?  

De fato, é vergonhoso ver a propaganda que a Igreja faz sobre o dízimo. Um artigo, baseado em uma história ‘verdadeira’ foi publicado na revista da Igreja Friend, em novembro 2007 (LDS.org), mostra o objetivo claro da igreja SUD.


A história narra uma mãe na miséria e um filho que não tinha sapatos para usar. 

Ela tinha dinheiro suficiente para comprar um sapato para seu filho, mas se sentiu muito culpada em gastar o dinheiro com seu filho ao invés de doá-lo para a igreja como dízimo. 

Claro que um "milagre" aconteceu e o bispo deu ao seu filho alguns sapatos.

Verdadeira ou não, o fato é esta história é apenas mais uma dentre tantas que ajudam a condicionar as pessoas, para que sintam que devem privar a família, incluindo as crianças, de suas primeiras necessidades, como sapatos, para pagar a igreja.

Mas, de acordo com o Élder Henry B. Eyring, do Quórum dos Doze Apóstolos:

"Se decidirmos agora sermos dizimistas integrais e, se formos constantes em pagá-lo, bênçãos fluirão".

"Spiritual Preparedness: Start Early and Be Steady", Ensign,  novembro 2005, 40.

Hinckley afirmou:
“Sempre foi uma bênção devolver ao Senhor um décimo do que Ele nos deu. Irmãos e irmãs, tenho grande testemunho do dízimo. Nunca me foi difícil pagar o dizimo, mesmo nos momentos de dificuldade financeira, porque o Senhor fez a promessa de que nos abençoaria se o fizéssemos. Não sou eu que faço essa promessa. Não é o bispo que faz essa promessa. O Senhor fez essa promessa, e é Ele que tem o poder de cumpri-la”. (Conferência regional, montevidéu, Uruguai, 10 de agosto de 1997).

“Pagar o Dízimo é mais uma questão de fé do que uma questão monetária. Tomamos a palavra do Senhor de modo literal e este é meu testemunho: Ele cumpre Sua palavra. Foi Ele quem fez a promessa. Não é uma promessa minha. É Dele a promessa de que abrirá as janelas do céu e derramará bênçãos sobre vocês até que não haja lugar suficiente para as recolheres”. (Serão, Bogotá, Colômbia, 8 de novembro de 1996).

“Quando eu era menino, todo mês de dezembro íamos à casa do Bispo: Meu pai, minha mãe e todos os filhos. O bispo não tinha uma sala na capela. Tínhamos que ir até a casa dele. O bispo, então, chamava-nos individualmente e perguntava quanto tínhamos pago como dízimo e quanto desejávamos pagar. Para as crianças era uma quantia muito pequena. Creio que o custo para se manter um registro daquela contribuição excedia o próprio valor dela, mas isto tinha seu propósito. Quando éramos crianças bem pequenas, nosso nome foi incluído nos registros de dízimo da Igreja, e nunca nos foi difícil pagar o dízimo desde aquela época”.(Serão, Quito, Equador, 12/ago/1997).

“Quanto ao pagamento do dízimo, trata-se de uma lei do Senhor. Ele nos deu os mandamentos. Ele fez a promessa. Ele tem poder para cumpri-la. É meu testemunho que Ele a cumpre. É preciso fé quando sentimos que não temos o suficiente, mas Ele prometeu que as janelas do céu se abririam e derramariam sobre nós uma bênção. Tenhamos fé Nele. Deixemos que Ele nos prove. Confiemos em Sua palavra. Cumpramos Seus mandamentos. Andemos em retidão perante o Senhor, como homens e mulheres íntegros, honestos, trabalhadores e fervorosos”. (Reunião, Manágua, Nicarágua, 19 de novembro de 1998).

“O Senhor espera muito de vocês no sentido de que assumam sua parte do fardo de levar adiante o trabalho do Senhor, pagando o dízimo e as ofertas. Temos dinheiro suficiente para fazer esta Igreja funcionar graças à fidelidade das pessoas. Essa fidelidade é uma coisa maravilhosa. Não temos muitas pessoas ricas na Igreja. O dinheiro que faz a Igreja funcionar provém daquilo que foi consagrada por pessoas maravilhosas e fiéis como vocês. O dízimo não é tanto uma questão de dinheiro, mas, sim, de fé. O Senhor não pode abençoar aqueles que não são obedientes”. (Reunião, Columbus, Ohio, 25 de abril de 1998).


Tenha fé? Isso é levar a fé ao extremo. É como dizer que não vai levar seus filhos ao médico porque tem fé que o Senhor vai curá-los. É irresponsabilidade e crime, não fé, e não há nada nobre nisso.

BÊNÇÃOS DE PAGAR O DÍZIMO

Algumas pessoas afirmam ter recebido bênçãos financeiras quando pagaram o dízimo, mesmo achando que não conseguiriam.

Alguns afirmam que realmente tem mais dinheiro, pagando o dízimo. Como? A resposta é simples:

As pessoas naturalmente controlam melhor o seu dinheiro quando sabem antecipadamente quais serão suas despesas. Portanto, se eles sabem que primeiramente pagarão o dízimo, então eles fazem isso e esticam o que sobra para pagar as demais despesas, cortando gastos supérfluos ou mesmo necessários.


Se você fizer as contas, com e sem o dízimo, é óbvio que terá mais dinheiro no final de cada mês, se você não pagar o dízimo. Dinheiro extra não aparecerá magicamente. O bônus inesperado de trabalho, o reembolso de imposto, o dinheiro de aniversário, aconteceriam de qualquer maneira.


FUTURO FINANCEIRO SÓLIDO

No inverno de 2008, a revista da BYU publicou um artigo chamado "Como construir um futuro financeiro sólido".

Este artigo afirma que o dízimo deve ser pago antes de qualquer coisa. Em seguida, ele diz:

“Especialistas da BYU são rápidos em lembrar aos membros da Igreja que o dízimo deve estar no orçamento familiar. Tendo 10 por cento menos, provavelmente significa que você viverá em uma casa menor, comprará um carro mais barato, ou terá férias mais baratas com sua família.

Porém, isso contradiz o que as Autoridades Gerais pregam na Conferência Geral sobre a abertura de ‘janelas do céu’ e receber bênçãos ‘que não haverá espaço suficiente para recebê-las’.”

Ao menos, este artigo trata com grande honestidade o assunto “dízimo”.

AS OBTURAÇÕES DE OURO

No próprio site da igreja há uma história um tanto inquietante. Os membros da Igreja na Argentina se sentiam tão obrigados a fornecer fundos para a construção do templo em São Paulo, SP, que tomaram uma decisão drástica. Veja o comentário original AQUI:

"[Faust] enfatizarou a necessidade de sacrifício para a construção do templo e disse como os membros da Argentina encontraram maneiras de fazer doações durante a construção do Templo de São Paulo, Brasil. Deram o ouro de seus dentes para ajudar a pagar o templo. Ele disse que havia comprado algumas das obturações de ouro por um valor maior que o preço de mercado, para assim compartilhar com as congregações o sacrifício feito por esses membros.” (Church News, 9 de maio de 1998)"


 Embora alguns possam pensar nesta história como uma demonstração de "fé", na verdade serve para pressionar os mórmons até um limite de sacrifício desnecessário.



A igreja não precisava de obturações de ouro destas pessoas para pagar a construção do templo. O valor das propriedades da igreja (atualmente gira em torno de US$ 100 bilhões) poderia facilmente ter coberto esses custos. 

Existiria algum membro SUD que, mesmo sabendo quanto a igreja possuía em propriedades, desejaria que essas pessoas tirassem suas obturações e as dessem para a igreja?

Veja AQUI algumas das propriedades da igreja atualmente.

UTAH E O DÍZIMO

O artigo, que pode ser visualizado em inglês, AQUI, mostra como o estado de Utah é extremamente não participativo em doações aos pobres e necessitados. Na lista da United Way of America, dentre os 50 estados que compõem os EUA, Utah ficou em 48 lugar em doações per-capita para instituições de caridade não-religiosas


A razão é óbvia: se a maioria da população de Utah está pagando 10% de sua renda à Igreja SUD, então eles já se sentem generosos o suficiente e raramente doam para outras instituições de caridade dignas, como o United Way, o Fundo Katrina, Cancer Research, etc.

Porém, ao invés do dinheiro ir para ajudar a curar doenças como o câncer e leucemia, o dinheiro vai para a igreja, para construir seus edifícios e para o uso de, praticamente apenas mórmons.


A igreja também não está doando o dinheiro que recebe às causas nobres. Se pensarmos que cada pessoa do mundo aderisse à Igreja SUD, todas as instituições de caridade, que ajudam sem exigir dízimo dos necessitados, acabariam. E logicamente a Igreja SUD seria (mais) vergonhosamente rica.

Isso é algo que deve ser cuidadosamente analisado. A maioria dos mórmons não consideram o bem real e tangível que poderia ser feito com o dinheiro que dão para a Igreja SUD.

FALÊNCIAS EM UTAH

Os líderes SUD frequentemente lembram das promessas que os dizimistas receberão em sua renda se pagarem os dízimos.


Porém, Utah continua sendo um dos estados mais pobres dos E.U.A. e está entre o estado com maior número de falências pessoais. Nos últimos anos, Utah liderou a nação nos pedidos de falência. Utah não foi apenas o estado líder neste quesito em 2005, mas também teve um número recorde de pedidos de falência.


Algumas das razões para o grande número de pedidos de falência são devidas a:

1. Mórmons pagando 10% ou mais do seu rendimento bruto para a Igreja em dízimo e outras ofertas;


2. As famílias numerosas;

3. A pressão no Mormonismo para ser, ou pelo menos parecer, financeiramente bem-sucedido, como uma prova aos outros de que o Senhor está abençoando-os; e


4. Empréstimos. Estes são calculados sobre o valor do salário, mas os bancos não contam que os salários são, de fato, 10% menores por causa do dízimo. Assim, eles conseguem empréstimos maiores do que realmente conseguem pagar.

Estes são problemas enormes, e não esqueça que a Igreja exige que o dízimo seja pago antes de todas as outras obrigações. Um artigo da Ensign, de março de 2004, foi escrito por um advogado mórmon especializado em casos de falência, e também defende que o dízimo deve ser o primeiro a ser pago.

Outros artigos relacionados:

March 2004 Ensign on Tithing

Criar um Site Grátis    |    Create a Free Website Denunciar  |  Publicidade  |  Sites Grátis no Comunidades.net