INVESTIGAÇÕES SOBRE A IGREJA SUD
DOUTRINA - natalidade

CONTROLE DA NATALIDADE


Há muita controvérsia quanto à posição da igreja no assunto de controle da natalidade. A seguinte série de depoimentos de escritores e Autoridades Gerais SUD foi escolhida principalmente  para a análise e esclarecimento.


Esta coleção apenas segue uma tradição acadêmica: textos com referências (provas). As declarações das correspondências pessoais vêm principalmente do manuscrito, "Population Control and Church Policy", preparado por solicitação das Autoridades Gerais por pesquisadores selecionados principalmente da BYU.


OBJETIVO DO CASAMENTO


 “...mas, como regra geral, podemos dizer aos nossos jovens que o objetivo do seu casamento é ter filhos. Se pretendem regular ou espaçar o tempo de gestação entre essas crianças, isso depende de vocês. Nós não vamos seguir ninguém até o seu quarto.”
Citação de Hugh B. Brown: His Life and Thought, p. 288, por Eugene E. Campbell e Richard D. Poll


[Dr. Homer Ellsworth, respondendo: Nós devemos procriar tanto e tão frequentemente quanto o corpo humano permite? Não haveria nenhum tipo de "planejamento familiar evangélico"?]


“... Bem, sobre as questões familiares, se limitarmos as nossas famílias, porque somos egoístas ou materialistas, certamente vamos desenvolver um caráter baseado no egoísmo. As escrituras deixam claro que esta não é uma descrição de um personagem celestial ....

"Como um médico, muitas vezes sou obrigado a tratar os sintomas socio-emocionais relacionados a vários aspectos da vida. Ao fazê-lo, sempre fico impressionado que os nossos profetas, do passado e do presente, nunca estipularam que gerar crianças é a única função do casamento. Profetas têm ensinado que a intimidade física tem um grande poder no fortalecimento do vínculo de amor no casamento e que intensifica e reforça a unidade conjugal.


[sobre 1 Coríntios. 7:4-5, Tradução de Joseph Smith]
"... A abstinência no casamento, diz Paulo, pode provocar tentações e tensões desnecessárias, efeitos colaterais que são certamente prejudiciais.

"... Além disso, os pais devem suprir seus filhos das necessidades da vida. O desejo de luxo, evidentemente, não é adequado para determinar o tamanho da família: o luxo simplesmente não é uma consideração legítima. Acho que cada coração humano inspirado pode rapidamente determinar o que é um luxo e o que não é ..."
Dr. Homer Ellsworth, Ensign , 9(8):23-24, 1979 [Ginecologista e ex-membro do Comité Geral de Melquisedeque -  publicação aprovada pela Primeira Presidência, antes da publicação]


OBRIGAÇÃO


“A mulher é capaz de ter um filho por ano.”

Orson Pratt, PARAPHRASED, Millennial Star, 6:174 and 7:30-31, 1845


 [Orson não estava debatendo especificamente sobre o controle da natalidade, mas estava tentando calcular o número de espíritos presentes na pré-existência e a quantidade de tempo necessária para que uma Mãe Celestial os produzissem. Ele argumenta que a Sua capacidade reprodutiva foi (é) essencialmente a mesma que das mães mortaisl ("... as coisas celestial são, em muitos aspectos, iguais às da terra ...") Cf.. The Seer 1:38-39, março de 1853]


 “No mandamento de Deus, como não foi especificado o número exato de crianças que uma mulher deve ter, basta entender que ela deve exercer o poder sagrado da procriação ao seu limite máximo.”
Rudger Clawson, Relief Society Magazine, 3:364 July 1916



“Minha esposa me deu quinze crianças. Qualquer coisa aquém disso teria sido menos do que o seu dever e privilégio.”
George F. Richards, Relief Society Magazine, 4:69, 1917



“A Igreja não aprova qualquer forma de controle artificial da natalidade. Parece, no entanto, que se você tiver quatro bebês em de cinco anos de casamento, você está submetendo o seu corpo à um teste quase sobre-humano, especialmente com sua aflição pela ameaça de artrite. O tempo entre cada gestação para ter os seus bebês é de sua responsabilidade. A saúde da mãe deve ser uma das primeiras considerações. Certamente será uma bênção para seus pequenos - aqueles com os quais você foi agora abençoada outros que ainda virão - se você manter-se bem e forte para que você possa dar-lhes a atenção adequada.”
David O. McKay, Private Correspondence, June 16, 1947


"A verdadeira maternidade é o chamado mais nobre do mundo e olhamos com tristeza para a prática de limitar as famílias aqui, nos Estados Unidos, e uma tendência insidiosa em nossa própria Igreja".
Prophet David O. McKay, Church News, June 11, 1952


"Proporcionar a oportunidade para que os filhos espirituais de nosso Pai Celestial venham à terra e trabalhem em sua própria salvação é um dos nossos sagrados privilégios e obrigações. Nós ensinamos que dentre as maiores riquezas eternas estão as crianças ".
Prophet Heber J. Grant, Gospel Standards, p. 154



"Neste esforço de controle da natalidade, o homem se coloca em oposição direta ao plano e às leis de Deus. O Todo-Poderoso fez este mundo, e Ele nos fez. Todos os seres humanos são seus filhos, sua prole espiritual, e é a Sua intenção fornecer a cada um de nós um corpo de carne e ossos. Este corpo é essencial para o progresso eterno. Com isto em mente, Ele nos deu o poder de procriação e nos permitiu juntarmo-nos à Ele em um ato divino. Mas, ao impedirmos ou sabotarmos nascimentos legítimos, nos opomos à este plano. Seus filhos espirituais nascem em corpos de carne e ossos de acordo com Seu próprio projeto. Então, quem somos nós para impedirmos isso?"
Apostle Mark E. Peterson, The Way to Peace, p. 266


"É um ato de egoísmo extremo um casal que se recusa a ter filhos quando eles são capazes de fazê-lo."
Prophet Spencer W. Kimball, Conference Report, April 1979, p. 6


CRIME E INIQUIDADE


“Aqueles que tentam perverter os caminhos do Senhor, e evitam que seus filhos entrem no mundo ... são culpados de um dos crimes mais hediondos desta categoria. Não há promessa de salvação eterna e exaltação para pessoas como essas ...”

Joseph Fielding Smith, Relief Society Magazine, 3:367-368, July 1916



[Em resposta às perguntas: "É errado que as pessoas casadas se recusem a ter filhos quando podem tê-los? É correto que um casal pobre tenha uma grande família quando a mãe está doente e as crianças recebem pouquíssimo cuidado?" a seguinte declaração foi dada:]

“Nem a pobreza nem a saúde debilitada por parte de um ou ambos os pais pode ser invocada para justificar a destruição da prole pré-natal. O dano desta visão torna-se evidente se a pergunta for um pouco alterada, como: 'É correto que um casal pobre mate alguns de seus filhos quando a mulher está doente e eles recebem pouquíssimo cuidado...'
Elder B.F. Cummings, ed., Liahona: The Elders' Journal, 8(2):36, 1908


“... casais que, por herança e com nível de vida adequado, que foram abençoados com vigor físico e mental, são infiéis ao seu dever se eles se recusam a cumprir a responsabilidade natural e legítima da paternidade. Claro que, em cada lar ideal, a saúde da mãe, bem como a inteligência e a saúde das crianças devem receber cuidadosa consideração.”
Heber J. Grant, Letter to Arnold Haymore, May 1, 1939


"Nós declaramos que é um grave pecado diante de Deus a adoção de medidas restritivas em desobediência ao mandamento divino de Deus, desde o início dos tempos, de ‘multiplicar e encher a terra’.”
Prophet Harold B. Lee, Conference Report, October 1972, p. 63


"O controle da natalidade é uma iniquidade. O mau uso desse convênio sagrado foi a causa principal da queda das nações. Quando os votos sagrados do casamento são violados eo real propósito do casamento é desrespeitado, como vemos de modo tão generalizado no mundo de hoje, a destruição é inevitável."
Joseph Fielding Smith Jr., Doctrines of Salvation, v.2, p. 87



"É uma iniquidade gritante a existência do sentimento ou propensão entre os membros da Igreja de limitar os nascimentos de filhos. Considero um crime o fato de um marido e uma mulher, em plena saúde e vigor e livres de impurezas, limitarem a sua posteridade. Creio que quando as pessoas limitam ou impedem o nascimento de filhos, vão acabar se decepcionando. Não hesito ao afirmar que este é um dos maiores crimes do mundo hoje, esta prática iníqua.
Bruce R. McConkie, Mormon Doctrine, p.86


"O problema do controle da natalidade e da esterlidade voluntária está envenenando as próprias fontes da vida e desafiando o mandamento de Deus de multiplicar-nos e enchermos a Terra".
Hugh B. Brown, The Abundant Life, p.244


"Ha multidões de espíritos puros e santos esperando para terem tabernáculos de carne e ossos. Então qual é o nosso dever como membros da Igreja? Prepararmos tabernáculos para eles: temos que agir para não permitirmos que esses espíritos nasçam em famílias de ímpios, onde aprenderão iniquidade, depravação e toda sorte de crimes."
Brigham Young, Discourses of Brigham Young, p. 197


"Quando um homem e uma mulher são casados e concordam ou se comprometem a limitar sua progênie a dois ou três filhos, e empregam artifícios com esse propósito, são culpados de iniquidade que, no final, deve ser punida. Infelizmente, esta doutrina maléfica está sendo pregada como virtude por muita gente que se considera culta e altamente instruída. Tem-se insinuado mesmo entre membros da igreja e foi defendida em algumas classes dentro dela.
Deve ficar definitivamente entendido que esse tipo de doutrina não é apenas não endossada pelas autiridades da Igreja como também condenada por elas como iniquidade aos olhos do Senhor"
Joseph Fielding Smith Doctrines of Salvation, v. II. p. 87.


"Os esforços por parte das revistas do Leste em educar o povo dos Estados Unidos, sobretudo os pais, com a doutrina que limita o número de seus descendentes a três ou quatro filhos, e como isto pode ser feito, é tanto perniciosa como uma abominação aos olhos do Senhor. E ela rouba do homem e de seu Criador a sua glória e seu crescimento."
Apostle and Patriarch George Franklin Richards, Relief Society Magazine, v. 3, no. 7,


"Há uma coisa que me disseram que é praticada, de certa forma entre nós, e eu vos digo que, aqueles que a praticam, se não se arrependerem profundamente, a maldição de Deus irá segui-los. Refiro-me à prática de impedir o nascimento de crianças. Eu quero levantar minha voz em solene advertência contra isso, e eu digo à vocês que a mulher que pratica tais artes diabólicas, ou o homem que consente à elas, serão amaldiçoados por Deus.

"Essas pessoas serão amaldiçoadas em seus corpos, amaldiçoadas em suas mentes, amaldiçoadas em suas propriedades, amaldiçoadas em sua prole. Deus irá retirá-los do meio deste povo e esta nação. Lembrem-se disto. Mães, ensinem isto para suas filhas, pois eu lhes digo que é verdade. Eu não preciso rogar qualquer maldição, qualquer que seja a minha autoridade, mas eu digo que as mulheres que tomam este caminho, e os homens que o permitem, serão amaldiçoados por Deus Todo-Poderoso, e esta maldição estará sobre eles até que a sua geração seja apagada, e seus nomes serão perdidos no meio dos santos de Deus, a menos que, como eu disse, haja profundo e sincero arrependimento."
Apostle George Q. Cannon, Collected Discourses, v. 5, October 7, 1894


MALDIÇÕES


A esposa do homem que serve à Deus é mãe de oito ou dez filhos saudáveis, enquanto que a esposa do homem é a mãe de uma ou duas crianças pobres e doentes, desprovidas de vitalidade e de constituição e, se tiver filhas, são incapazes, por sua vez, de serem mães, e a saúde e vitalidade que a natureza lhes negou por causa das irregularidades de seus pais não serão reparadas nem ao menos em sua educação. "
Prophet Brigham Young, Journal of Discourses, v. 12, pp. 120-121


"... uma vez que as raízes do controle de natalidade são um tipo de egoísmo, a vida espiritual da usuária de anticoncepcionais fica enfraquecida. As mulheres parecem se tornar mais masculinas nos pensamentos e ações, e os homens mais insensíveis e reservados; ambos, marido e mulher tornam-se mais descuidados um com o outro, e cada vez mais indiferentes aos direitos mais elevados e às alegrias da vida."
Apostle John A. Widtsoe, Evidences and Reconciliations, p. 310-314


"O mundo ensina o controle da natalidade. Tragicamente, muitos dos nossos irmãos usam suas práticas e pílulas, quando poderiam facilmente fornecer tabernáculos terrenos para mais crianças de nosso Pai. Sabemos que cada espírito designado à esta terra nascerá, seja através de nós ou de outros. Há casais na Igreja que pensam que estão muito bem com suas famílias pequenas, mas um dia sofrerão as dores do remorso quando se reunirem aos espíritos que poderiam ter sido parte de sua posteridade".
Prophet Ezra Taft Benson, Conference Report, April 1969, p. 12


A IGREJA


“É a política da Igreja desencorajar a prevenção da concepção, através de qualquer meio, a menos que a saúde da mãe exija isso. É também política da Igreja considerar as relações conjugais de marido e mulher como se fosse um problema pessoal e sua responsabilidade resolver e estabelecer entre eles uma relação sagrada.
David O. McKay, Private Correspondence, September 11, 1963


“... A Igreja opõe-se ao controle da natalidade. No entanto, aconselha as mães e pais que sejam sábios em suas relações íntimas. Se a saúde da mãe está envolvida e o bem-estar familiar está em jogo, os pais estão justificados em seguir o conselho de bons médicos, preferencialmente membros da Igreja, que têm elevados padrões morais para aconselhar essas medidas apenas para a proteção da saúde e da vida da mãe e de outras crianças.
Hugh B. Brown, Private Correspondence, October 6, 1961


"A Igreja sempre aconselhou contra o controle da natalidade. Esta é a única posição que a Igreja pode ter em vista das nossas crenças em relação à eternidade do convênio do casamento e da finalidade dessa relação divina."
Apostle Hugh B. Brown, The Way of the Master, pp. 114


"Quando o marido e a esposa são saudáveis e livres de deficiências hereditárias e doenças que possam ser transmitidas prejudicando os seus filhos, o uso de contraceptivos é condenado".
Prophet David O. McKay, Conference Report, October 1943, p. 30


OUTROS


"Presidentes, membros da Sociedade de Socorro, aqui vocês têm a palavra do Senhor sobre este assunto. Algo pode ser mais claro ou mais enfático? É muito estranho que as pessoas possam acreditar que o Senhor da Vida poderia aprovar, por um momento, a recusa de seus filhos em cumprirem o primeiro mandamento dado à Adão e Eva."
First Presidency (Joseph F. Smith, Anthon H. Lund, Charles W. Penrose), Relief Society Magazine, v. 4, no. 2, February 1917, pp. 68-69


"...muitas das pessoas que querem frustrar os propósitos de Deus de dar tabernáculos mortais para Seus filhos espirituais através de controle de natalidade, são as mesmas pessoas que apóiam um tipo de governo que perpetua a fome. Eles defendem um mal para curar os resultados da maldade que eles apóiam."
Prophet Ezra Taft Benson, Teachings of Ezra Taft Benson, p. 539


“O único e legítimo ‘controle de natalidade’ é aquele que surge naturalmente da observância das leis divinas, e do uso dos poderes da procriação, não para o prazer em primeiro lugar, mas para a perpetuação e melhoria da raça. Durante certos períodos, os de gestação e lactação, a esposa e mãe deve estar relativamente livre para dar força à sua prole, e se isso envolve uma auto-negação por parte do marido e pai, melhor para todos os interessados.

"O controle da natalidade, sob a lei de Deus, é um problema que se resolve. Eu não tenho fé nos sofismas daqueles que rejeitam a Sua lei, e tentam substitui-la por suas próprias teorias vãs sobre a diminuição do sexo. Para os eugenistas isto pode significar muito, mas eles não sabem o suficiente para tirar o mundo do deserto.
Apostle Orson F. Whitney, Relief Society Magazine, v. 3, no. 7, July 1916


"Qualquer esforço ou desejo, por parte de um casal, de se esquivar da responsabilidade da paternidade reflete um estado mental antagônico aos melhores interesses de um lar, do estado e da nação. Sem dúvida, existem algumas pessoas mundanas que honestamente limitam o número de crianças a duas ou três na família, por causa da insuficiência de recursos para vestir e educar uma família grande como eles desejariam fazer.

"Mas em quase todos os casos, duas ou três crianças não são melhor supridas do que seriam duas ou três vezes esse número de filhos. Tais pais podem ser sinceros, mesmo que equivocadas, mas na maioria dos casos o desejo de não ter filhos tem como causa a vaidade, a paixão e o egoísmo. Tais sentimentos são as sementes plantadas no início na vida de casados, que produzirão uma colheita de discórdia, desconfiança, separação e divórcio.

"Todos esses esforços, muitas vezes, tendem a colocar o relacionamento conjugal em um nível como um cafetão e uma cortesã. Eles sujam as fontes puras da vida com o lodo da indulgência e da sensualidade. Esses casais perdidos estão sempre procurando, mas nunca encontrando a causa da  tristeza de seus corações".
Prophet David O. McKay, Relief Society Magazine, v. 3, no. 7, July 1916


“Nós não estamos dispostos a imitar estes exemplos [controle de natalidade], nem de viver esta doutrina perniciosa, anunciada na Igreja Plymouth pelo famoso Henry Ward Beecher – de que era um mal aumentar as famílias além de um limite, devido à incapacidade dos pais educarem muitos filhos corretamente e mantê-los, sustentando a idéia de pequenas famílias.

"Pior, justificando as mães - as mães desnaturadas - da Nova Inglaterra e os seus parceiros e apoiando os esforços deles na destruição de seus próprios filhos, e na prevenção da fecundidade da raça... Os Santos dos Últimos Dias são ensinados a reverenciar as palavras do Deus de Abraão, Isaac e Jacó, sobre a multiplicação de sua espécie, e são chamados a multiplicarem e encherem a terra."
Apostle Erastus Snow, Journal of Discourses, v. 25, p. 110-112


RELACIONAMENTO


“Justamente no outro dia chegou uma carta à minha mesa de uma mulher que escreveu longamente sobre seus problemas. Num espírito de desespero, ela perguntou:

" ‘Será que a mulher tem alguma promessa de, algum dia, ser um membro de primeira classe da raça humana? Será que ela vai ser sempre um pedaço de alienação envolta em um xale de lã agindo apenas sob a permissão do homem que está sobre ela?’ (Um xale de lã, aliás, é um xale muito simples usado pelas mulheres na Índia.) Ela então prosseguiu: ‘Para mim, as respostas a estas perguntas não são mais importantes, mas eu tenho filhas. Se for possível uma mulher olhar para a eternidade e ver algo mais do que estar com os pés descalços e grávida, eu gostaria de poder ensiná-las isso.’

"Há uma tragédia amarga nas linhas desta carta. Temo que haja muitas outras que podem se sentir assim. A situação é trágica, porque é muito diferente do que nosso Pai Celestial tem para suas filhas. Por trás das palavras desta mulher, eu vejo a imagem de uma mulher que está desanimada, sedenta de valorização, pronta para desistir, e não sabe qual caminho tomar.

"Eu vejo um marido que faltou às suas obrigações sagradas, que está calejado em seus sentimentos e enrolado em suas percepções, que nega em sua maneira de viver a própria essência do evangelho de Jesus Cristo. Eu não duvido que tenha havido culpa da parte dela, bem como a da dele, mas estou inclinado a pensar que a dele é a mais grave. [p. 2]
[p. 6, depois de aconselhar os homens a melhorarem suas relações com suas esposas:]

Estou ofendido com o sofisma de que o único papel da mulher Santos dos Últimos Dias é ficar descalças e grávidas. É uma frase inteligente, mas é falsa. Claro que acreditamos nas crianças. O Senhor nos disse para multiplicarmos e enchermos a terra para que pudéssemos ter alegria em nossa posteridade, e não há alegria maior do que a alegria que vem de crianças felizes em boas famílias. Mas Ele não determinou o número, nem a Igreja. Este é um assunto sagrado deixado para o casal e o Senhor. A declaração oficial da Igreja inclui esta passagem: "Os maridos devem ser atenciosos com suas esposas, que têm a maior responsabilidade, não apenas de gerar filhos, mas de cuidar deles durante a infância, e devem ajudá-las a preservarem a sua saúde e força. Os casais devem exercitar o auto-controle em todos os seus relacionamentos. Devem procurar inspiração do Senhor no cumprimento de seus desafios conjugais e na criação de seus filhos, de acordo com os ensinamentos do evangelho (Manual Geral de Instruções - 1983 - p 77.)”
President Gordon B. Hinckley, Cornerstones of a Happy Home, Satellite fireside broadcast, Jan 29, 1984, then distributed in the pamphlet of the same name.


 “É um privilégio dos casais, que são capazes de terem filhos, fornecerem corpos mortais para as crianças espirituais de Deus, a quem eles são, então, responsáveis por nutrir e criar. A decisão quanto ao número de filhos e quando tê-los é extremamente íntimo e privado e deve ser entre o casal e o Senhor. Os membros da igreja não devem julgar os outros nesta questão.
Os casais também devem compreender que as relações sexuais dentro do casamento são divinamente aprovadas não apenas para os fins de procriação, mas também como um meio de expressar amor e fortalecer os vínculos emocionais e espirituais entre marido e mulher.
LDS Church Policy (post-1999), Church Handbook of Instructions, January 1999


Criar um Site Grátis    |    Create a Free Website Denunciar  |  Publicidade  |  Sites Grátis no Comunidades.net