Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis



 INVESTIGAÇÕES SOBRE A IGREJA SUD
I SUD - empresa de Deus - 3

EMPRESA DE DEUS - CITAÇÕES


"Pode parecer estranho, até mesmo uma certa blasfêmia referir-se à uma igreja como uma corporação, mas a analogia aqui é simplesmente inevitável. A Igreja é, inegavelmente corporativa". (Jeffery Kaye, “An Invisible Empire: Mormon Money in California,” New West, May 8, 1978, p. 39).


"O envolvimento empresarial que temos é uma parte muito, muito pequena da nossa atividade ... Tentamos dirigir alguns - e eu enfatizo que – os poucos investimentos em negócios que temos é de uma forma prudente, como qualquer corporação empresarial prudente faria, e usamo-os para o bem público". Prophet Gordon B. Hinckley, quoted in Ken Wells, “The Mormon Church is Rich, Rapidly Growing and Very Controversial,” Wall Street Journal, November 9, 1983, p. 1


"Mas, de fato, a Igreja Mórmon tem consideravelmente mais do que alguns poucos investimentos empresariais. Os investimentos da Igreja são enormes, mudando constantemente para tirar partido das margens de lucro no mercado de ações, e altamente diversificados.  

"A Igreja tem um império de negócios virtuais, com ativos em cerca de US $ 8 bilhões, com estimativas conservadoras. Estas operações da Igreja foram executadas basicamente para seus retornos econômicos e não necessariamente para o bem público". (John Heinerman and Anson Shule, The Mormon Corporate Empire, p. 76, 1985).


"Entre os mórmons, as coisas temporais sempre foram importantes, juntamente com as coisas eternas, pois a salvação neste mundo e no próximo é visto como um mesmo e contínuo processo de crescimento infinito. Construir Sião, um reino literal de Deus na Terra, tem, portanto, uma identidade significava de valores religiosos e econômicos: nos assuntos diários do Reino, as escrituras dos Santos dos Últimos Dias apelam à unidade, bem-estar e independência econômica". (Leonard J. Arrington, LDS historian, “Zion’s Board of Trade: A Third United Order,” Western Humanities Review, v. 5, p. 1, Winter 1950-51).


"Durante um período de quinze anos [no final de 1800], no que é conhecido como o Movimento Cooperativo, os Mórmons construíram mais de 200 quilômetros de ferrovia territorial, uma fábrica de lã de $ 300.00,00, uma grande fábrica de algodão, negócios de atacado e varejo com vendas de $ 6.000.000,00 por ano, mais de 150 lojas locais em geral, e pelo menos 500 locais de produção cooperativista e empresas de serviço ...  

"O aspecto mais controverso deste movimento foi a política de esperar que os Santos dos Últimos Dias dessem apoio financeiro exclusivo a estas organizações cooperativistas sob responsabilidade da igreja ". (Leonard J. Arrington, LDS Historian, From Wilderness to Empire: The Role of Utah in Western Economic History, monograph no. 1, University of Utah Institute of American Studies, 1961, p. 16). 

A lei Edmunds-Tucker foi aprovada no Congresso em 1887 para tentar romper o conglomerado empresarial Mórmon. 

"Da mesma maneira que o governo federal está sobrecarregado com a burocracia, a Igreja mórmon é protegida com camada após camada de quóruns, comitês e conselho. O rápido crescimento da igreja tem criado uma necessidade de ‘serviço público’ - milhares de gestores, advogados, escrivães, historiadores, professores e arquitetos que trabalham para o reino ... 

"Um efeito do serviço público da igreja é o efeito de ‘guarda do palácio’. A burocracia de nível médio tem o poder de diluir o efeito do presidente da igreja. Funcionários em tempo integral filtram todas as recomendações que vêm para os líderes da igreja, bem como todas as diretivas que saem.  

"Eles muitas vezes falam ‘em nome dos irmãos’ e tomam decisões que os membros acreditam ser sancionadas pela liderança da igreja." (Fred C. Esplin, “The Saints Go March On,” Utah Holiday, June 1981, p. 48)

Criar um Site Grátis    |    Create a Free Website Denunciar  |  Publicidade  |  Sites Grátis no Comunidades.net