INVESTIGAÇÕES SOBRE A IGREJA SUD
SIMBOLOGIA SUD - parte 1

  A SIMBOLOGIA DAS CONSTRUÇÕES SUD - UMA ANÁLISE SOB O PONTO DE VISTA MAÇÔNICO



Texto traduzido e adaptado - de Sandra Tanner (original AQUI)



Na Primavera de 2002, a Igreja SUD completou sua reconstrução do Templo de Nauvoo, em Illinois. 

Ele foi originalmente construído em 1840 (figura ao lado), mas foi destruído depois que os mórmons abandonaram a cidade. Devido à publicidade e fotos sobre este templo, muitas pessoas perguntaram sobre os símbolos do edifício.


Para entender os símbolos é preciso primeiro compreender o grande envolvimento de Joseph Smith com a Maçonaria. O historiador SUD Reed Durham observou:


"Em 1840, John Cook Bennett, um ex-líder ativo na Maçonaria tinha chegado no Comércio [de Nauvoo] e rapidamente exerceu sua liderança persuasiva em todas as áreas da Igreja Mórmon, incluindo a Maçonaria. ... Joseph e Sidney [Rigdon] foram introduzidos à Maçonaria formal... no mesmo dia ... " [1]


Reed Durham ainda comentou:


"Eu tenho tentado, até agora, para demonstrar que Maçônica influências sobre José na história da Igreja inicial, anterior à sua adesão formal na Maçonaria, foram significativos .... Na verdade, creio que há poucas evoluções significativas na Igreja, que ocorreram após 15 de março de 1842, que não têm alguma interdependência Maçônica ". [2]


Veja mais sobre o envolvimento de Smith com a maçonaria AQUI.


The Salt Lake Tribune (4 de maio de 2002, p.C3) publicou uma foto do original templo de Nauvoo, que mostra o símbolo maçônico do compasso e do esquadro acima do anjo. A repórter Peggy Stack escreveu:


"Cada detalhe do histórico Templo de Nauvoo foi reconstruído [no novo templo de Nauvoo] meticulosamente com uma exceção: o anjo voando que enfeitou o edifício Mórmon no início do século 19. Em seu lugar está o anjo  Moroni folheado à ouro e usado pela primeira vez no Templo de Salt Lake ...


Alguns especulam que o anjo horizontal, com compasso e esquadro, possa estar muito intimamente associado aos rituais maçônicos para os mórmons modernos". [3]




Desenho arquitetônico original do catavento do templo de Nauvoo.
Note o compasso e o esquadro acima do anjo






Reed Durham observou:


"É também óbvio que a arquitetura do Templo de Nauvoo foi, pelo menos em parte, maçonicamente influenciado. Na verdade, parece que houve uma tentativa deliberada de utilizar símbolos maçônicos e motivos. O sol, a lua e as estrelas são exemplos. Um exemplo adicional foi o anjo usado no topo do templo. [Acima do anjo] há um belo compasso e esquadro, no típico estilo maçônico ". [4]





Desenho arquitetônico das estrelas do templo de Nauvoo







O compasso e o esquadro utilizados na Maçonaria.




Detalhes adicionais dos símbolos e imagens do edifício do templo de Nauvoo  estão no Deseret News Church Almanac 2001-2002 (ver pp.120-141). Na página 135 do Almanaque, há uma fotografia de um dos sóis originais que foi colocado no alto das colunas do lado de fora do templo.

  

Uma fotografia de um sol do templo de Nauvoo também está no livro de Fawn Brodie, No Man Knows My History, p.298 (b).






O sol do templo de Nauvoo, com seu rosto humano, é semelhante às representações maçônicas do sol. Ao lado está uma ilustração do livro maçônico The Craft and Its Symbols, p.75.


Os símbolos maçônicos foram retratados e discutidos em diversos livros. Albert Pike, em seu livro, Morals and Dogma of the Ancient and Accepted Scottish Rite of Freemasonry, discute os vários símbolos maçônicos e seu significado.


No livro The Craft and Its Symbols: Opening the Door to Masonic Symbolism, de Allen E. Roberts, p.11, há um desenho do avental maçônico presenteado ao Presidente George Washington, por Lafayette. Os símbolos sobre o avental, que foram posteriormente utilizados pelos mórmons, incluem uma colméia, o olho que tudo vê, o compasso e esquadro, e o sol, a lua e as estrelas.



O Masonic Monitor, em 1820, tinha uma ilustração dos símbolos da Maçonaria. Este desenho (encontra-se ao lado) é muito semelhante ao avental de Washington.


Muitos símbolos maçônicos (o sol, a lua, as estrelas, olho que tudo vê, a colméia, e os toques de mão) também foram colocados no Templo de Salt Lake.



Um dos símbolos mais familiares do mormonismo é a colméia. 

Exemplos de uso inicial da colméia pode ser visto na casa de Brigham Young (conhecida como a Casa da Colméia - ao lado, com a Eagle Gate aparecendo parcialmente), em Salt Lake City. 


Atualmente, a colméia é exibida nas maçanetas das portas do templo de Salt Lake, assim como em uma cúpula em seu exterior.


No entanto, a maioria das pessoas não estão cientes de que a colméia já era um símbolo da Maçonaria muitos anos antes de Joseph Smith começar a sua igreja. O historiador maçônico Allen E. Roberts explica:


"A colmeia de abelhas, na maçonaria, é um símbolo da Indústria .... Quando e por que a colméia da abelha entrou Maçonaria como um símbolo ninguém sabe .... No livro The Early Masonic Catechisms, a abelha na Maçonaria é mencionada em 1724 ... " [5]



Apesar de muitas pessoas estarem conscientes dos símbolos usados no templo de Salt Lake, estes também foram utilizados em outros edifícios SUD em Utah (fotos abaixo - veja "Where Are All The All-Seeing Eyes?", Sunstone Magazine, vol.10, no.5, Maio de 1985).



O pesquisador SUD Michael Homer discutiu o uso de símbolos maçônicos pelos mórmons:


"Mesmo depois da virada do século e do abandono da poligamia, a mesma comparação [a Maçonaria] foi feita. A Primeira Presidência declarou em uma mensagem em 15 de outubro de 1911, que ‘por causa de suas características maçônicas, as cerimônias do templo são sagradas e não para o público’.


O uso de símbolos maçônicos pelos mórmons também tem sido reconhecido publicamente. Os mórmons não eram nada discretos nas suas representações dos símbolos associados por muito tempo com a Maçonaria ... incluindo o esquadro, o compasso, o sol, a lua e as estrelas, a colméia, o olho que tudo vê, toques de mão ritualísticos, dois triângulos entrelaçados formando uma estrela de seis pontas ... e uma série de outros símbolos maçônicos em casas de endowment, templos, cooperativas, lápides, tabernáculos, capelas da igreja, cabeçalhos de jornais, hotéis, residências, dinheiro, logotipos e selos." [6]



Além desses símbolos, a Igreja SUD continua a usar o pentagrama invertido. O atual templo de Nauvoo tem várias janelas com ele.












A estrela invertida também foi usada em outras construções mórmons (veja 1 e 2).

Além disso, a roupa íntima, chamada de garment mórmon (usada diariamente por SUDs fiéis) são bordadas com o compasso e o esquadro. Elas parecem com uma pequena costura formando um "V" do lado esquerdo e um "L" no lado esquerdo da peça, ambos sobre o peito. Há também uma pequena linha costurada no umbigo e no joelho direito. Estes estão nos garments masculinos e femininos. Leia mais AQUI.


Uma vez que a igreja mórmon rejeita o uso da cruz como um símbolo religioso, podemos nos perguntar: por que eles adotariam símbolos usados pelos maçons, satanistas e paganistas?


Ao tentar explicar as semelhanças entre Mormonismo e Maçonaria, um autor SUD escreveu:




"Os maçons que visitam o Bloco do Templo em Salt Lake City ficam impressionados com o que eles chamam de emblemas maçônicos, exibidos do lado de fora do templo Mórmon.
 
Sim, os ‘emblemas maçônicos’ estão exibidos nas paredes do Templo – o sol, a lua e as estrelas, a ‘Santidade ao Senhor’, as duas mãos direitas cumprimentando-se em comunhão, o olho que tudo vê, o Alfa e o Ômega, e a colméia. 

 Os escritores maçons dizem que o ritual do Templo Mórmon e os seus próprios são muito parecidos em alguns aspectos.


Sem desculpas estamos francamente admitindo que pode haver alguma verdade nestas declarações." [7]


Negar os fatos realmente não é a melhor atitude diante de tantas evidências. 

É interessante que, já em Utah, Brigham Young continuou a usar o símbolo maçônico do compasso e do esquadro em sua roupa (veja o detalhe sobre seu peito ao lado).



Mais tarde, no mesmo livro, o Sr. McGavin declarou:


"Na agenda de Benjamin F. Johnson, um amigo íntimo e colaborador de Joseph Smith, está registrado que 'Joseph disse-me que a Maçonaria era o endowment apóstata, assim como as religiões sectárias eram as religiões apóstatas.’ Élder Heber C. Kimball, que havia sido maçom por muitos anos, relatou que depois que Joseph Smith tornou-se um maçom, ele explicou a seus irmãos que a Maçonaria havia sido retirada do sacerdócio". [8]


O problema com a posição do Sr. McGavin é que nem os rituais maçônicos ou mórmons podem ser demonstrados existirem na época do templo do Rei Salomão. Na verdade, a maioria dos historiadores colocam o início da Maçonaria nos anos 1700. O autor SUD Michael Homer escreveu:


“Antes de 1860, a maioria dos escritores maçons aceitavam as lendas que alegavam que a Maçonaria teve origem na antiguidade. Embora estas alegações foram contestadas, em sua maioria, por escritores anti-maçôns nos Estados Unidos, ... a maioria dos escritores maçônicos recusava-se a ouvir estas afirma;cões até que uma escola de investigadores Inglêses começou a avaliar as minutas das Lojas, os antigos rituais e os registros municipais. Eventualmente esse movimento ... desmascarou a noção de que os rituais praticados na Maçonaria surgiram antes do século XVI.


Gould e outros argumentam que a melhor evidência indica que a Maçonaria originou-se com as corporações de comércio na Idade Média, e que o desenvolvimento da Maçonaria especulativa, com cerimônias e rituais semelhantes aos praticados hoje, começou no século XVII


.... os rituais da Maçonaria nunca foram estáticos, mas evoluíram tanto no tempo e no espaço. Por exemplo, apenas após-1760 os rituais incluíram as obrigações distintas para os graus em conjunto com os sinais, as penalidades, toques e palavras, a forma encontrada na maioria dos rituais subsequentes e no mesmo formato seguido pelo endowment no templo mórmon ". [9]




Uma vez que a Maçonaria data de 1700 e Joseph Smith era um maçom antes de introduzir os rituais do templo mórmon e construir o templo de Nauvoo, somos forçados a concluir que as semelhanças entre os dois grupos são devidas à elementos de “empréstimo” que Smith fez da maçonaria (veja os símbolos comuns ao lado).














____________________
Notas:
1- "Is There No Help for the Widow's Son?" by Dr. Reed C. Durham, Jr., as printed in Joseph Smith and Masonry: No Help for the Widow's Son, Martin Pub. Co., Nauvoo, Ill., 1980, p. 17
2 – Ibid., p.17
3 - Salt Lake Tribune, 4 de maio de 2002, p.C3
5 - The Craft and it’s Symbols, por Allen E. Roberts, Macoy pub., 1974, p.73
6 -  "Similarity of Priesthood in Masonry": The Relationship between Freemasonry and Mormonism, by Michael W. Homer, Dialogue: A Journal of Mormon Thought, vol.27, no.3, Fall 1994, p.73
7 - Mormonism and Masonry, Introduction, by E. Cecil McGavin, Bookcraft, 1956.
8 - Mormonism and Masonry, p.199
9 - "Similarity of Priesthood in Masonry," Dialogue: A Journal of Mormon Thought, vol.27, no.3, Fall 1994, pp.103-104.



Para mais informações, veja:


http://gnosis.org/ahp.htm

Criar um Site Grátis    |    Create a Free Website Denunciar  |  Publicidade  |  Sites Grátis no Comunidades.net